BLOG

Precaução e segurança nos esportes

O início de 2014 foi um tanto quanto conturbado para dois esportistas muito queridos mundialmente: Anderson Silva, que fraturou a tíbia ao perder a chamada “luta do século” para o campeão Chris Weidman; e Michael Shumaker, em acidente na neve, em pista de ski.

Parando para refletir sobre esses dois momentos marcantes, sobre os quais os detalhes já foram muito noticiados, fica claro que a medicina caminha em simbiose com o esporte, e deve continuar assim, em infinitas modalidades.

Nesta semana, depois de ler pelas redes sociais sobre a esperança de volta de Anderson ao octógono, vinda do próprio atleta em recuperação, foi satisfatório reconhecer o quão bem feito foi o atendimento médico em Las Vegas. Caso ele não tivesse sido imediato, dificilmente se falaria em volta aos ringues, ainda mais um de um atleta de alta performance.

No Brasil, é a CABMMA quem está presente em todos os eventos oficiais de MMA/UFC. A comissão leva em conta a segurança dos atletas e não permite as lutas sem a presença de médicos. Se, por algum motivo, a lesão do “Aranha” tivesse sido em terras canarinhas, o atleta também receberia o atendimento adequado e também estaria falando em voltar a lutar.

Por outro lado, o acidente do alemão Michael Shumaker é um pouco mais delicado, e poderia ser pior se o resgate não tivesse sido imediato. Tanto é que o ex-piloto ainda se encontra em coma induzido, na cidade de Grenoble, na França. Daí a reflexão sobre algo que passa despercebido: No Brasil, quais são as condições de segurança e resgate em locais de grande público, onde se praticam modalidades esportivas diversas?

Troque a neve por areia, o frio por calor, a paisagem de montanha pelo azul do mar, os esquis e snowboards por equipamentos menos sofisticados como cascas de árvore ou pranchas de madeira… Pronto, temos o cenário perfeito para a descida nas dunas, uma das mais cobiçadas atrações turísticas de nossas praias. Mas e as normas de segurança, será que são cumpridas? Ocorrência semelhante ao acidente de Shumaker bem poderia acontecer durante a brincadeira, mas a vítima não teria o mesmo tipo de socorro do ex-piloto alemão. Nesse ponto, mesmo com todo a boa intenção, ainda somos um país despreparado. O correto seria a presença contínua de profissionais treinados para o resgate. Pena que isso ainda é uma utopia.

Portanto, como ainda estamos no início do ano, costumeiro período de férias, avalie os riscos antes de praticar qualquer modalidade esportiva diferente do costume. Informe-se sobre a localização de prontos-socorros, qual a distância até eles, procure saber da manutenção dos equipamentos de segurança e, principalmente, evite tomar decisões pela emoção do momento. Saber dizer não pode salvar a sua vida.

Até a próxima!

Mais dicas e notícias pelo twitter @drdanielmma.

mais posts

A medicina e a Copa do Mundo em Curitiba

Publicado em 21.02.2014
Categorias: Ortopedia
Enfim, definidas para valer as sedes da Copa do Mundo no Brasil. Curitiba viveu dias difíceis, quase não foi confirmada por conta do atraso nas obras da Arena…

UFC Jaraguá terá presença da CABMMA

Publicado em 11.02.2014
Categorias: Imprensa, MMA
Esta semana tem UFC em Jaraguá do Sul. A programação já começa nesta quarta-feira (12), com a apresentação promocional do atleta Junior Cigano, que estará no Park Shopping…

Duas notícias intrigantes para o MMA

Publicado em 27.09.2013
Categorias: Imprensa, MMA
A quinta-feira 26 de setembro foi não foi das melhores para o MMA. Depois de ter sido recentemente reconhecido como prática desportiva, duas notícias não muito boas assombraram…

Manual do Corredor: Predomínio de Lesões na Corrida

Publicado em 28.04.2016
Categorias: Manual do corredor, Medicina Esportiva
Algumas pesquisas têm procurado determinar a epidemiologia das lesões nos esportes para adequar a indicação da prática esportiva mais segura para uma determinada população e desenvolver estratégias de…