artrose de joelho tratamento sem cirurgia

| 01.ago.2013 | Postado por

ARTROSE DO JOELHO – TRATAMENTO SEM CIRURGIA EM CURITIBA

INFILTRAÇÃO DE ÁCIDO HIALURÔNICO  

O que é ácido hialurônico? é um importante componente do líquido sinovial ( líquido que lubrifica o joelho)

 

Para que serve? Tratamento das lesões da cartilagem – desgaste (artrose no joelho).

 

Como funciona? Apresenta propriedades VISCOELÁSTICAS que conferem a esse líquido a capacidade de ABSORÇÃO DE IMPACTO, DISSIPAÇÃO DE ENERGIA E LUBRIFICAÇÃO ARTICULAR. Ele estimula os sinoviócitos ( células que produzem o líquido sinovial) e a produção de ÁCIDO HIALURÔNICO.

 

Indicação ? Artoses leves, moderadas e alguns tipos de artroses graves

 

 EficáciaPrincipalmente sobre a DOR, melhora significativa da FUNÇÃO ( MOVIMENTOS DO JOELHO) e avaliação global do paciente.

 

Durabilidade?  Tem durabilidade variável na dependência de vários fatores, sendo o principal a gravidade das lesões. Para a dor em geral 6 – 8 meses. Para a prevenção do desgaste tem um efeito cumulativo

 

Vantagens? Procedimento ambulatorial em que o paciente não necessita hospitalização e somente repouso por 2 dias. Não há a necessidade de utilização de muletas ou imobilizações. Baixos efeitos colaterais.

 

Desvantagens? Efeito temporário.

 

Como é feito o procedimento? Infiltração articular única das três doses do produto. Procedimento realizado em ambiente ambulatorial ( Clinica de Ortopedia e Esporte Sete em Curitiba) com anestesia local, levando em média 5 minutos

1. LIMPEZA DO JOELHO

2. REALIZADA UMA PEQUENA ANESTESIA LOCAL POR ONDE SERÁ INTRODUZIDA A AGULHA

3. PUNÇÃO LATERAL NO JOELHO E INFILTRAÇÃO DO PRODUTO

infiltração de ácido hialurônico no joelho

 

OBS: A INFILTRAÇÃO DE ÁCIDO HIALURÔNICO NO JOELHO DEVE SER REALIZADA SEGUINDO UM PLANEJAMENTO COMPLETO DE TODO O TRATAMENTO SEM CIRURGIA, ONDE, O OBJETIVO, É MELHORAR O CONDICIONAMENTO DA MUSCULATURA DA COXA ANTERIOR E POSTERIOR

artrose do joelho curitiba

SAIBA MAIS SOBRE A ARTROSE NO JOELHO:

A artrose é o desgaste gradativo da cartilagem, associada à alterações de ligamentos e músculos ao redor da articulação.Pode ser de origem primária ou secundária, tendo apresentação ou acometimento de uma ou mais articulações.

Quadro Clínico

Dor é a queixa principaL

Deformidade angular do membro acometido

Limitação funcional.

Artrose de joelho

Raio x mostrando pinçamento do compartimento medial do joelho esquerdo

artrose de joelho

Foto mostra deformidade em varo do joelho esquerdo.

TRATAMENTO NÃO – CIRÚRGICO:

Não medicamentoso: fisioterapia, exercícios, uso de órteses, bengalas ou muletas. O trabalho muscular promove uma melhora da pressão e da lubrificação articular, para isso, o programa de exercício deve ser adaptado para cada caso, levando-se em consideração o grau e a localização da artrose. A perda de peso também está relacionada como um importante papel na diminuição da dor, seja pela diminuição da carga na articulação, bem como na diminuição de substâncias sintetizadas pelos adipócitos que aumentam a degradação da cartilagem.

artrose de joelho

Medicamentoso: anti- inflamatórios (alívio da dor ); Sulfato de Glicosamina/Condroitina (substâncias atuantes na cartilagem que melhoram a dor e retardam a progressão da doença); Corticóide intra-articular ( quadros agudos de sinovite para alívido da dor ); Ácido hyalurônico intra-articular (melhora dos sintomas ocorre entre 3 a 6 meses após administração, deve ser indicado para casos específicos).

 

TRATAMENTO CIRÚRGICO:

A escolha adequada do procedimento a ser realizado depende, dentre outros fatores, da idade do paciente, do seu nível de atividade, da gravidade da doença e do número de compartimentos do joelho afetados.

Artroscopia: indicada para pacientes com artrose inicial, que não apresentam desvio do eixo e que persistem com dor após período de tratamento não cirúrgico. É realizada limpeza articular, com remoção de fragmentos de cartilagem solta na articulação, além de meniscectomia parcial, sinovectomia limitada e ressecção de osteófitos ( “bico de papagaio”). É um procedimento paliativo, não sendo capaz de alterar a progressão da doença.Saiba mais

artrsoecopia dr daniel carvalho

Osteotomia: é a correção do eixo do membro inferior, diminuindo a carga de um dos compartimentos do joelho ( lateral ou medial). É feita através de um corte ósseo e fixação com placa e parafuso. Deve ser indicada em indivíduos fisiologicamente jovens que desejam manter um estilo de vida mais ativo e atividade laborais, esportivas e recreativas de grande impacto, que reduziriam a sobrevida de uma prótese. A melhora da dor e da função ocorre em cerca de 80% dos pacientes em 5 anos e em aproximadamente 50 a 60% em 10 anos permitindo o adiamento da cirurgia de prótese de joelho. Saiba mais

Artroplastia ( prótese )

Unicompartimental: indicadas para artrose de 1 compartimento, baixa demanda física, dor mínima no repouso,poucas alterações na amplitude de movimento e desvio mínimo do eixo do joelho

artrose de joelho PROTESE UNICOMPARTIMENTAL

Total: A principal indicação é a dor de forte intensidade em repouso, que interfere com as atividades da vida diária, decorrente da artrose grave e refratária ao tratamento conservador bem executado. São geralmente pacientes idosos, em que os critérios para indicação de uma osteotomia ou prótese unicompartimental não se encaixam.Saiba mais

artrose de joelho PROTESE TOTAL DE JOELHO

 

MAIS SOBRE ARTROSE 

PATOGENIA

1. Fatores inerentes aos indivíduos como idade, e outros fatores ambientais como estresse ou sobrecarga articular e traumas, bem como hábitos e estilo de vida como sedentarismo e obesidade são considerados os principais fatores de risco para o desenvolvimento da artrose de joelho.

2. Alterações na musculatura periarticular, em tendões e ligamentos periarticulares podem induzir estresse biomecânico substancial, agravado pela perda de outras funções homeostáticas conjuntas, incluindo produção de lubrificantes. Como se trata de um tecido vivo, a cartilagem esta em constante reparo e degradação. Porém, estímulos nocivos podem favorecer a destruição em relação ao reparo articular, e desencadear o processo de artrose no joelho. Uma vez instalado, esse processo pode se perpetuar em ciclos auto estimulados, caracterizando a natureza progressiva da artrose.

3. A degradação da cartilagem se dá com o aparecimento de fibrilações e erosões, e redução progressiva da espessura da cartilagem até o seu desaparecimento. Devido a redução do amortecimento exercido pela cartilagem, o osso subcondral recebe maior impacto mecânico e reage com intensa remodelação. Podem ocorrer formações de cistos ósseos que tornam a região subcondral mais frágil. A reação local promove irregularidades no osso com áreas mais densas, que se projetam nas bordas das superfícies articulares, formando as exostoses marginais, denominadas de osteófitos. A eburneação óssea ocorre no estágio final da doença quando o osso articular encontra-se completamente desnudado e suas superfícies se tornam lisas e brilhantes.

4. Os debris osteocartilaginosos fagocitados pelas células da membrana sinovial induzem a liberação de citocinas e outros mediadores inflamatórios que contribuem com a perpetuação do processo degenerativo.

5. A membrana sinovial inflamada acelera o processo de degradação cartilaginosa através da liberação no líquido sinovial, de enzimas proteolíticas. Com a evolução do processo ocorre falência dos mecanismos de regeneração e morte dos condrócitos causando extensas áreas acelulares na cartilagem, as áreas de fissura.

6. A artrose do joelho é uma doença inerente da cartilagem articular que pode progredir para o comprometimento das estruturas adjacentes. De provável etiologia inflamatória local, é cronica, progressiva e tipicamente degenerativa. Os fatores de risco são envelhecimento sobrecargas e traumas articulares, obesidade, dentre outras.

PREVALÊNCIA

As doenças musculoesqueléticas são uma das causas mais frequentes de dor e incapacidade na população adulta em países em desenvolvimento. A artrose é o tipo mais comum dessas doenças e mundialmente se estima que afete no mínimo 10% dos homens e 18% das mulheres com idade acima de 60 anos. Muitos estudos mostram que este aumento esteja relacionado com o sedentarismo e a obesidade, levando um número maior de pessoas a viver com reduzida qualidade de vida.

Nos últimos 20 anos, a incidência de artrose nos EUA aumentou nitidamente onde é reconhecida como a causa mais comum de incapacidade funcional. Além disso, estima-se que em 2030, 25% da população sofrerá de artrose.

Um estudo recente de 2012, revelou que 80% dos brasileiros acima de 60 anos de idade relatam sofrer doença crônica, sendo as doenças crônicas musculoesqueléticas ( como a artrose) são as mais frequentemente observadas. Nos próximos 35 anos, estima-se que o número de portadores de artrose no Brasil, será o dobro do observado em 2010.

FATORES DE RISCO

A artrose é uma doença articular degenerativa heterogênea sem um fator de risco, causa ou biomarcardor particular. A incidência está relacionada a vários fatores, sendo os principais, o envelhecimento e a obesidade. Com o avanço da idade os condrócitos ( células que formam a cartilagem) perdem o poder de reparação, além disso, com o tempo, ocorre produção excessiva de substâncias inflamatórias na articulação, exacerbando o desgaste.

A obesidade, um fator de risco modificável significativo, parece ter efeitos tanto sistêmicos ( no corpo todo) quanto mecânicos ( peso ) sobre as articulações de carga ( quadril, joelho e tornozelo). Pessoas obesas, são duas vezes mais propensas a desenvolver artrose de mãos e três vezes mais propensas à desenvolver artrose de joelho. O papel do tecido adiposo como uma fonte de mediadores inflamatórios é bem documentado e é provável que desempenhe um papel significativo na patologia da artrose.

Outros fatores de risco incluem: gênero ( mulheres apresentam maior risco principalmente após a menopausa, devido ao papel dos hormônios); genética ( existe um forte componente hereditário no desenvolvimento da artrose, com identificação de genes específicos causadores desta patologia; lesão articular (lesões de menisco e ligamentos) e o desalinhamento ( fatores de risco importantes, pois o estress mecânico anormal aplicado sobre uma articulação pode levar a uma maior expressão de mediadores inflamatórios que desgastam mais ainda a articulação).

O objetivo do tratamento da artrose do joelho sem cirurgia é o de melhorar a dor e função articular, utilizando como métodos principais o fortalecimento muscular, a perda de peso e a educação neuromuscular.

Associado a estes métodos, podemos utilizar medicações via oral, como os antinflamatórios, as medicações que ajudam a proteger a cartilagem e, mais recentemente, a utilização do ácido hyaluronico, através de infiltrações dentro da articulação.

No fim do ano de 2016 foi publicado o mais importante consenso sobre o tratamento com ácido hyaluronico, baseada em vários estudos científicos e, neste vídeo eu vou tirar algumas dúvidas sobre o tratamento da artrose sem cirurgia, utilizando a viscosuplementação, mais conhecida como infiltração de ácido hyaluronico

Eu sou o Dr Daniel Carvalho, especialista em cirurgia do joelho e lesões esportivas e este o o canal, ortopedia do esporte

Para que serve o ácido hyaluronico?
Esta substancia, que possuímos na articulação, tem a função de absorção do impacto ( elasticidade), lubrificação ( viscosidade), propriedades antinflamatórias, efeito protetor sobre a cartilagem e efeito bloqueador da dor

2. Quais os efeitos da infiltração?

Reestabelecer as propriedades de absorção do impacto, reduzir a inflamação, diminuir a dor, melhorar a mobilidade, promover a produção do ácido hyaluronico normal, aumentar a lubrificação e inibir a destruição da cartilagem

3. A infiltração é um tratamento efetivo para todas as artroses?

Artroses leves e moderadas
Após análise de mais de 129 ensaios clínicos, com mais de 30 mil pacientes, o Consenso Europeu, concluiu que a infiltração de áciso hyaluronico deve ser considerada para artroses leves e moderadas, devido ã eficácia na REDUÇÃO DA DOR em grande número de casos

Artroses avançadas
Os especialistas concluiram que, tal esquema terapeutico pode ser útil como terapia combinada para o alivio da dor, principalmente em pacientes mais idosos e com alguma doença, que não podem ou não querem se submeter ao tratamento com cirúrgico, como a prótese de joelho ou aqueles em que é contra- indicado o uso de antinflamatórios.

4. Quando admnistrada em estágios precoces, a infiltração pode proteger contra a artrose?
Os principais estudos estudam o efeito sobre a dor e a função, no entanto, alguns pesquisadores osbservaram que o uso seriado pode sim, atuar como protetor da cartilagem, através da diminuição do processo inflamatório e de degradação da cartilagem, podendo postergar a protese de joelho em até 6 anos

5. O tratamento sem cirurgia é somente com a infiltração?
Não, o principal fator do tratamento é reestabelecer um equilibrio de toda a musculatura dos membros inferiores, bem como, a melhora da função e da diminuição da dor da articulação.

CONCLUSÃO + CHAMADA PARA AÇÃO (Vídeo)
Espero que essas respostas tenham ajudado a tirar as suas dúvidas sobre o tratamento com o ácido hyaluronico, que vem nos auxiliando muito na melhora da qualidade de vida dos pacientes.