BLOG

Idade é fator de aumento de lesões musculares

Um dos atletas que está em alta na mídia do futebol brasileiro é o meia veterano Alex, do time do Coritiba. Formado nas categorias de base do próprio clube, o craque, hoje com 35 anos, rodou o mundo, defendeu a Seleção Brasileira e é idolatrado na Turquia, conquistas de uma carreira sólida que deve se encerrar no time do coração, o qual, aliás, visivelmente se destaca na tabela do Brasileirão 2013 com ele em campo.

Machucado e sem jogar por conta de uma contratura na coxa direita, primeira lesão muscular na carreira, Alex tem passado algumas semanas a mais no departamento médico. Mas por que tanta demora?

Mesmo para um atleta profissional, a chegada da idade faz com que a incidência de lesões aumente e a recuperação seja um pouco mais demorada. Claro que vamos ter aqui um certo cuidado ao afirmar que a idade é o motivo para a lenta recuperação de Alex, mesmo porque, só o departamento médico do Coritiba tem a resposta certa, com todos os exames e acompanhamento da recuperação do jogador. O que vamos fazer é aproveitar a dúvida em relação ao episódio com o ídolo do Coxa e transportá-la para atletas profissionais e amadores de todas as modalidades esportivas, afinal, lesões causam transtorno para todos.

Para facilitar o entendimento, vamos a um jogo de pergunta e reposta:

No que a idade interfere no surgimento de uma lesão muscular?
A incidência de lesões musculares aumenta com a idade. O maior peso e menor flexibilidade da musculatura presentes em atletas com mais idade têm sido considerados fatores de risco para lesões musculares.

Se Alex tivesse sofrido uma torção no tornozelo, a idade também afetaria na recuperação?
A princípio não. O fator principal nas lesões articulares, em especial no tornozelo, é o número de entorses ao longo da carreira e se o tornozelo é instável (frouxo — tendência ao entorse) ou não. O Alex não torceria o tornozelo por ter uma idade ou outra. Se acontecesse, seria factual.

Falando em recuperação. Há diferença no tratamento de um atleta profissional e no de um atleta amador ou uma pessoa que não pratica esportes, sendo ambos da mesma idade?
As características do tratamento são as mesmas. O que vai diferenciar é a exigência de retorno rápido do atleta profissional. No caso do Alex, a lesão dele envolve técnico, presidente, patrocinadores do clube, etc., por isso o tratamento é intenso, diário e em dois ou três períodos do dia, algo que, normalmente, não ocorre no dia a dia de um atleta ou pessoa que não tenha todas essas exigências.

Esperamos ter esclarecido todas as dúvidas. Torcemos para que o jogador Alex tenha uma boa recuperação, independente do time que ele joga, pois o importante é manter a saúde em ordem. Se houver mais alguma pergunta, entrem em contato. Responderemos o mais breve possível.

Até a próxima!

@drdanielmma

mais posts

UFC 179 – Aldo x Mendes 2

Publicado em 23.10.2014
Categorias: MMA
    25/10 Canal Combate 21 hs Card Principal Categoria Penas                  José Aldo vs. Chad Mendes a[›] Meio Pesados.  …

O retorno do Spider

Publicado em 29.01.2015
Categorias: Medicina Esportiva, MMA, Ortopedia
Anderson Silva estava afastado do mundo das lutas desde o UFC 168, em dezembro de 2013, quando enfrentou o norte-americano Chris Weidman, em Las Vegas, pelo cinturão dos pesos-médios.…

MANUAL DO CORREDOR: FRATURA POR ESTRESS

Publicado em 25.03.2015
Categorias: Manual do corredor, Medicina Esportiva, Ortopedia
As fraturas por estress podem atingir até 20% de todas as lesões esportivas. O número é considerado alto e são comuns em diferentes modalidades como o atletismo, futebol, basquete,…

CABMMA segue Comissão de Nevada e proíbe TRT

Publicado em 28.02.2014
Categorias: Medicina Esportiva, MMA
Após Vitor Belfort desistir da disputa do Cinturão dos Médios pela proibição do uso do TRT, Dr. Márcio Tannure, chefe do comitê médico da Comissão Atlética Brasileira de…