BLOG

Idade é fator de aumento de lesões musculares

Um dos atletas que está em alta na mídia do futebol brasileiro é o meia veterano Alex, do time do Coritiba. Formado nas categorias de base do próprio clube, o craque, hoje com 35 anos, rodou o mundo, defendeu a Seleção Brasileira e é idolatrado na Turquia, conquistas de uma carreira sólida que deve se encerrar no time do coração, o qual, aliás, visivelmente se destaca na tabela do Brasileirão 2013 com ele em campo.

Machucado e sem jogar por conta de uma contratura na coxa direita, primeira lesão muscular na carreira, Alex tem passado algumas semanas a mais no departamento médico. Mas por que tanta demora?

Mesmo para um atleta profissional, a chegada da idade faz com que a incidência de lesões aumente e a recuperação seja um pouco mais demorada. Claro que vamos ter aqui um certo cuidado ao afirmar que a idade é o motivo para a lenta recuperação de Alex, mesmo porque, só o departamento médico do Coritiba tem a resposta certa, com todos os exames e acompanhamento da recuperação do jogador. O que vamos fazer é aproveitar a dúvida em relação ao episódio com o ídolo do Coxa e transportá-la para atletas profissionais e amadores de todas as modalidades esportivas, afinal, lesões causam transtorno para todos.

Para facilitar o entendimento, vamos a um jogo de pergunta e reposta:

No que a idade interfere no surgimento de uma lesão muscular?
A incidência de lesões musculares aumenta com a idade. O maior peso e menor flexibilidade da musculatura presentes em atletas com mais idade têm sido considerados fatores de risco para lesões musculares.

Se Alex tivesse sofrido uma torção no tornozelo, a idade também afetaria na recuperação?
A princípio não. O fator principal nas lesões articulares, em especial no tornozelo, é o número de entorses ao longo da carreira e se o tornozelo é instável (frouxo — tendência ao entorse) ou não. O Alex não torceria o tornozelo por ter uma idade ou outra. Se acontecesse, seria factual.

Falando em recuperação. Há diferença no tratamento de um atleta profissional e no de um atleta amador ou uma pessoa que não pratica esportes, sendo ambos da mesma idade?
As características do tratamento são as mesmas. O que vai diferenciar é a exigência de retorno rápido do atleta profissional. No caso do Alex, a lesão dele envolve técnico, presidente, patrocinadores do clube, etc., por isso o tratamento é intenso, diário e em dois ou três períodos do dia, algo que, normalmente, não ocorre no dia a dia de um atleta ou pessoa que não tenha todas essas exigências.

Esperamos ter esclarecido todas as dúvidas. Torcemos para que o jogador Alex tenha uma boa recuperação, independente do time que ele joga, pois o importante é manter a saúde em ordem. Se houver mais alguma pergunta, entrem em contato. Responderemos o mais breve possível.

Até a próxima!

@drdanielmma

mais posts

10 dicas para a saúde do seu joelho

Publicado em 21.05.2015
Categorias: Cirurgia do Joelho, Ortopedia
    1. Pratique esportes: O esporte ajuda na melhora do condicionamento muscular e controle do peso   2. Faça um acompanhamento médico: A avaliação clínica detecta possíveis…

Na onda Bolt no Mundial de Atletismo de Moscou

Publicado em 14.08.2013
Categorias: Ortopedia
“O campeão voltou”. O grito já é famoso no futebol e foi hino este ano na final da Copa das Confederações, quando o Brasil foi campeão com goleada…

Handebol feminino do Brasil é Campeão Mundial

Publicado em 22.12.2013
Categorias: Ortopedia
Parabéns para a seleção brasileira feminina de handebol pelo título mundial inédito. Durante anos como atleta desse esporte pouco valorizado no Brasil, fico muito feliz e esperançoso.

Georges St-Pierre: ” TOC interrompeu a carreira “

Publicado em 27.02.2014
Categorias: MMA, Tratamento
Em entrevista ao canal de TV canadense CBC, o agora ex-campeão revelou que teve diagnosticado Transtorno Obsessivo Compulsivo (ou TOC), uma das principais doenças psiquiátricas da atualidade, como…

Instagram